O PORQUÊ DE LANG

Nel mezzo del cammin di nostra vita
mi ritrovai per una selva oscura
ché la diritta via era smarrita.
LA DIVINA COMMEDIA
di Dante Alighieri

Fazia muito tempo que eu não pensava no cinema de Fritz Lang. Foi na aula do Inacio Araujo CInema Historia e Linguagem que veio a vontade de estudar ele novamente. Revi o filme “M” e imagens do Dr.Mabuse. Me senti desafiado. A PLASTICIDADE que eu já conhecia em Metrópoles se tornou pequena perto desses filmes. Isso foi a faísca que deu inicio a essa breve pesquisa. Acredito que a liberdade plástica do mundo da ficção sempre foi o ponto de partida dos filmes que faço.
A plasticidade não está somente no cénario ou no figurino, mas também no som, na música, na montagem . Nos olhos de um ator.

Amo a busca plástica, o prazer é imenso. O naturalismo me cansa quando sou eu o criador. Não quero revelar o mundo que vivemos, mas sim criar um mundo novo. Experimentar, tentar entrar em caminhos desconhecidos na busca por lugares inóspitos. Mesmo que eu me perca. Mas sempre recebo a ajuda de alguem ( cineasta, poeta, bandido ou dançarino de qualquer lugar, de todas épocas ) para seguir .
Ainda não encontrei os lugares inóspitos. Mas, hoje, evito o caminho do naturalismo. Me parece muito povoado.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *